sábado, 20 de novembro de 2010

Um rosto lindo e um sorriso encantador ♪

. sábado, 20 de novembro de 2010

Bom, como disse no post anterior mil desculpas por estar um pouco afastada do blog, mas vida de universitária é complicada rs.
È resolvi tirar um tempo hoje pra contar um foto que aconteceu ontem comigo, um pouco triste, mas que me fizeram refletir em varias coisas, espero que gostem;D
Ontem me parecia um dia normal, eu dentro de um ônibus lotado, com um calor de 40° e pessoas, muitas pessoas.Por ai tudo bem, ainda me parecia um dia normal, entre essas idas e vindas de terminal a terminal, ate me deparar com uma família que particularmente me parecia bem, tirando a parte de que o patriarca da família era um cadeirante, olhando para o lado me deparei com um menino que aparentemente tinha uns 10 anos, mas que pelo olhar eu daria minha idade, com um olhar observador para todos os lados e que ao mesmo tempo me passava toda responsabilidade com um belo sorriso, não por estar indo talvez passear, mas sim por estar diante do teu maior herói, mesmo que ele não pudesse te levar pra jogar bola ou ate mesmo soltar uma pipa correndo pelos campos, mas sim por simplesmente tê-lo ali do lado.Confesso que me apeguei tanto aquele menino diante daquele momento que me coloquei no lugar dele, voltando aos meus 10 anos onde saia pra brinca com meu pai fazendo tudo aquilo que uma criança da minha idade normalmente faria, e não conseguia entender como uma criança daquela idade com todas aquelas dificuldades ainda sim me estampava um sorriso tão sadio, tão gostoso que me fazia lembrar de um passado no qual ele talvez não irá passar, e que talvez não tivesse tudo aquilo que eu tive, mas que provavelmente era feliz, só pelo fato de talvez ter um lar ou ate mesmo de brinca com seu pai de outras coisas que não seriam de uma criança normal, mas que fazia sorrir de uma forma radiante.
Parei pra pensar um pouco nas coisas banais que vivia reclamando, e nas coisas bestas na qual brigava com meu pai, parei pra pensar também no modo em que o tratava, na maneira que falava. Às vezes reclamamos tanto das coisas que fazemos e não vemos a situação do próximo, agradeço muito por ter encontrado esse menino em um terminal qualquer ou um lugar qualquer.Pensem nisso e tentem se colocar em uma situação pelo qual vocês ainda não passaram ou nunca irão passar, reflitam nas coisas que vocês falam pros teus pais, passem mais tempo com eles, você nunca vai saber e nunca vão te avisar o ultimo dia deles.

Um ótimo final de semana pra vocês, bjobjo s2.

4 comentários:

Victor Pagani disse...

É complicado mesmo, a vida de universitário. rs
Sempre devemos pensar que existem pessoas em situações piores que a nossa, sempre.

[]'s

Janaina Martins ' disse...

Pois é Talita, como voce falou , muitas vezes nós só sabemos reclamar e nem paramos pra olhar em nossa volta que tem pessoas com problemas muito mais graves do que o nosso . Nesse caso, é foda, e a gente tem que pensar em quantas vezes ficamos bravos e chateadinhos com os nossos pais por coisa pouca, quando na verdade, devíamos saber valoríza-los mais por tudo que eles já nos fizeram e nos deram .
Parabéns anjo, ótimo post . e são na situaçõesdo cotidiano mesmo onde encontramos as maiores inspirações . beju!

Macaco Pipi disse...

vc teve o cabeção pirado quantas vezes?

William disse...

Talita,
É bom a gente refletir da maneira como você fez. Por mais que todos nós reclame de alguma situação, pode ter certeza que tem sempre algo pior, e desse algo pior, vem as lições. Lições de solidariedade, de vida. Tenho um amigo cadeirante, já é Avô, tem uma doença terrível, mas a amizade e o bom humor do cara, supera tudo.
Bom domingo.

Postar um comentário